Canada Project


PASSEEEEEEEIIIII!!!!!!!!!!
Dezembro 4, 2008, 1:30 am
Filed under: PROCESSO, TIME LINE

Como eu sei que tem gente que não gosta de ler muito na tela…

RESUMO:

cheguei cedo a entrevista, uma pilha de nervos, sem conseguir me comunicar com nenhuma das outras pessoas que tb esperavam a entrevista. O (temido) entrevistador haitiano passou pela sala de espera sem dizer nada e gelou o ambiente, mas haviam duas outras entrevistadoras, então a chance de ser entrevistado por ele, caiu para pouco mais de 30%…melhor assim. Depois de 1h de atraso, finalmente Madame Judit chama meu nome. Entrei na sala e ela pediu os documentos principais…entreguei. Não sei exatamente por que eu disse que fazia circo e ai a conversa destravou total. Ela falou um monte sobre Solei e Montreal e só ai eu percebi que já estava mais relaxado e falando com tranqüilidade. Tava difícil de entender, é verdade, mas consegui respoder as perguntas e entregar o que ela foi pedindo…Depois de ver tudo ela se virou para o compuatdor, acessou o programa e antes de digitar minha pontuação soltou um “creio que você deve ter sido aceito”…e eu: “oi?”…ela entrou no programa, digitou os campos e apertou enter…e…”vous ete accepté”, mas sem euforia alguma, tão natural quanto qualquer outra coisa que ela disse antes. E depois, imprimiu o documento (CSQ), me falou sobre os próximos passos, me deu algumas dicas e muitos parabens e boa sorte…e eu só “merci, merci, merci”. Sai de lá flutuando e nem me achei ruim ter ficado preso no congestionamento de fim de tarde em SP. Agora é dar entrada no visto e seguir adiante.
**********************************************************************************************************

Agora, em retribuição a todos aos relatos que acompanhei durante tantos meses, e dos quais suguei cada um dos mínimos detalhes…

VERSÃO COMPLETA E ESTENDIDA:

Cheguei em SP, no dia anterior a entrevista, segunda dia 01 de Dezembro, para trabalhar. Claro que o dia se arrastou como uma lesma manca e tive que agüentar picos de ansiedade…Fui dormir na casa da amiga Re (Re, mais uma vez, muito obrigado por todo o apoio!!! Te amo!!), mas antes de dormir, fui arrumar a pasta com os documentos, segunda a noite. Já havia lido antes que o melhor a fazer era montar uma pasta com um índice para ajudar a me orientar na hora H.
DICA 1: Ao invés de inventar a roda, eu usei aquela lista que vem com a carta de confirmação da entrevista e me orientei por ela (colocando os documentos na ordem em que aparecem na lista) para fazer a verificação do que tinha e do que NÃO tinha. Pois é, eu NÃO tinha impresso algumas coisas (cartas que estavam no meu email, ofertas de emprego recentes – as que tinha eram de fevereiro de 2008 -, o tal contrato de autonomia financeira…ao todo 7 itens).Mas OK…”amanhã, eu acho uma lan e imprimo tudo” pensei.
Fui dormi…fui e não consegui, claro. Felizmente um anjo fechou meus olhos sei la que horas da madrugada e os abriu as 6h30! Ah, detalhe importante…eu estava sem relógio!! Costumo usar o relógio do celular, mas justo dessa vez eu havia esquecido o carregador…
DICA  2: Não gaste toda a preparação apenas com a documentação que trará para entrevista. Considere as questões de outra ordem como transporte, clima, tempo, endereço do local, remédio pra dor de cabeça, absorvente (pras mulheres)…e relógio! No meu caso, felizmente fui acordado muito antes do horário e deu tempo de imprimir tudo o que faltava…UFA! Imprimi tudo na casa da amiga Re e em menos de 2 horas estava tudo pronto.
DICA 3: Imprima ofertas de emprego do Emploi Quebec…imprima outras também, mas coloque as do Emploi Quebec na frente, bem visível. Eu li em outro relato que outro entrevistador havia perguntado pelas ofertas desse site (por que tem ligação governamental e tal…). Tudo pronto, tomei banho e decidi que ia logo para os lados da cidade em que fica o escritorio para evitar transito, transtornos ou imprevistos. Roteiro pra que estiver perto da Santa Casa (onde eu estava). Metrô até a Sé, metrô até o Paraiso, metro até Vila Madalena, Ponte Orca até Cidade Universitária, trem até estação Berrini…4 quadras (pequenas) andando e voilá, número 1511:um prédio sofisticado, todo de vidro! Cheguei lá as 11h50 e ainda era muito cedo (só poderia subir a partir das 13h30 para a entrevista marcada para 14h30). Dei uma volta pelas redondezas e restaurantes existem aos montes. De todos os tipos…mas para quem não está afim de gastar muito, então é melhor ter um lanchinho na bolsa por que não tem nada “popular” por ali. Tudo fino. Entrei num tal “Varanda Paulista” um kilo muito bom, bem variado, cheio de coisas que eu gosto.Parei para almoçar às 12h07, de acordo com a garçonete do lugar. Estava ainda vazio. Mas em poucos minutos bombou!! De repente começou a aparecer gente de todos os lados e de repente, o restaurante estava lotado!
DICA 4: Se for almoçar na Berrini, chegue cedo por que todos os lugares ficam abarrotados de gente a partir do meio-dia e permanecem assim até por volta das 14h (acho) por que antes disso eu subi. Mas antes, ainda dei umas voltas para achar um lugar para tomar um café…isso foi um pouco mais difícil de achar…podia ter entrado num boteco, mas só de pensar que eu podia ficar fedendo gordura de chapa, desisti. Achei um expresso no NYCNYC, à R$2,50!!! Um cafezinho micho que daria pra beber num gole só. Mas…era o que tinha a mão…se alguém tiver achado um mais barato, indica pra galera…Dei mais algumas voltas pelo bairro, ao redor do prédio e lembrei que havia uma coisa que eu não havia impresso na casa de minha amiga Renata, por que tinha muitas imagens: meu projeto de imigração…um arquivo de Power point com 12 slides em que eu coloquei coisas como “por que o Canadá”, “por que o Quebec”, “porque Montreal”, uma tabelinha de custo de vida, qual bairro eu escolhi e porque…essas coisas e um plano básico de adaptação (cursos, trabalhos que não exigem formação canadense, etc). Fiquei na duvida se imprimia ou não o bendito PowerPoint até que eu decidi que sim, iria imprimir…mas não tem lan house nas redondezas do prédio…só restaurantes, lojinhas e cabelereiros…DICA 5: O que me salvou foi uma loja de revelação/impressão de fotos, na rua de trás do prédio do escritorio. Pedi encarecidamente e o tiozinho resolveu cooperar. Abriu o arquivo e imprimiu em preto e branco mesmo. Pronto, agora não faltava mesmo mais nada.

Antes que eu derretesse de calor ou perdesse a hora, resolvi subir e esperar no ar-condicionado do escritório. Na portaria do prédio, a velha burocracia, se identifica (eles tem uma lista de quem irá subir pra entrevista), pega o crachá, passa a catraca e sobe. Subi junto com outros 2 casais até o 15º. andar. Aproveito pra pedir desculpas a esses casais pela minha cara fechada…Eu não sou antipático não. Era puro nervosismo. Parecia que se eu falasse alguma coisa, a gramática francesa, os verbos, os pronomes iriam se derramar, espalhando-se pelo chão e eu não ia conseguir juntar tudo de novo. Por isso eu só conseguia mexer os olhos.

Sentei num canto da sala de espera numa poltrona deliciosa de couro marron. Abri meu livro “Mon pays reinventé” (Isabel Allende – muito bom, por sinal) e tentei ler um pouco pra me aquecer…que nada. Numa linda TV de plasma estava começando a passar o DVD do espetáculo de 25 anos do Cirque de Soleil…”Ai não….justo agora?” pensei. Seria ótimo poder ver esse espetáculo, mas não agora, eu  precisava ler, me aquecer, estimular meu cérebro a pensar em Frances!! Tentei e tentei ler, mas era impossível. A TV acabava roubando minha atenção. Saco! Por alguns segundo eu odiei Cirque de Soleil!! De repente passa pela sala de espera o famigerado sr. Alcide. Fiquei chocado…Ele não tinha nada a ver com a imagem que eu tinha dele. Era um senhor de uns 50~60 anos, alto, barrigudinho, com um coletinho de tricô, xadrez!…Fiquei em pânico! “Como vou conversar, em francês, com uma pessoa que tem idade dos meus tios, que veio do Haiti?” Que miscelânia!! Ele passou sem dizer nada e entrou em uma sala, a da direita (numa parede que tinha 3 portas lado-a-lado)

Logo após vi uma senhora na porta do meio saindo com uma caneca em direção a algo que acho que devia ser uma cozinha por que ouvi o barulho da porta de um microondas e depois o som do forno funcionando. Ela voltou para sua sala e fechou a porta. Depois de alguns minutos, passa pela sala de espera a Sra. Soraia Tandel (a brasileira que trabalha na Imigração) “Oh Deus, podia ser com ela né? O sotaque dela é mais fácil!”

DICA 6: Vá ao banheiro com antecedência. É uma bobagem eu sei, mas me começou a dar vontade de ir tirar a água do joelho quando já era mais de 14h30! Ou seja, se eu fosse a partir desse momento, poderia ser chamado e estar em pleno serviço mictórico. Resolvi segurar. Arrochei os esficters. A essa altura eu já tinha largado o livro e me entregado ao espetáculo. Os casais todos já estavam passando por suas entrevistas e nada da minha começar. Ai saiu na sequencia o casal que estava com a Soraia, depois o outro casal que estava com a senhora da porta do meio…e eu fiquei desesperado pedindo a Deus que o casal que estava com o haitiano não saísse nunca daquela sala. Eu tremia, suava, me balançava, cruzava as pernas, descruzava! Estava com mais medo de encarar o haitiano do que da entrevista em si. De repente a porta do meio abre e aquela senhora chama meu nome em francês: “Monsieur Alvarrrô?!”

Pronto. Chegou a hora!! E não seria com M. Alcide (quse ajoelhei aos pés da Madame Entrevistadora – ainda não sabia quem ela era). Caminhei em direção a sala e ela me pediu pra me sentar. Disse Bonjour e apontou a cadeira. Ela se sentou do outro lado e numa frase só disse: “…Vou começar…te pedindo…seu diploma, seu passaporte e comprovante de trabalho”. Até ai, eu só consegui entender palavras esparsas no meio do discurso. Mas o suficiente para fazer o que ela pedia. Enquanto ela fazia  a conferencia dos dados, não me lembro exatamente por quê, eu disse que fazia circo. Pronto, ela largou os documentos e começamos a conversar um monte sobre o circo, sobre trapézio, sobre o Soleil (eh Soleil, cada uma hein?), sobre Montreal, sobre os festivais, o verão, a noite, as baladas…e quando me dei conta eu tava falando sobre os shows que assisti em 2008! Uia!!! E a partir daí comecei a entende-la com a maior clareza do mundo…Quer dizer, eu perdia umas palavras aqui e ali, mas não me sentia mais perdido, como quando entrei na sala. Antes de terminar essa parte de conferência de documentos ela me pergunta sobre ofertas de emprego que eu devia ter encontrado pela internet e pediu pra que eu mostrasse. Voilá: tirei as folhas impressas do saquinho e entreguei a ela. As ofertas do Emploi Quebec na frente das outras. Ela olhou uma por uma, en passant, mas deteve-se nas descrições dos postos de trabalho (que eu havia destacado previamente). Disse ok, me devolveu e perguntou qual era o meu plano de imigração…como eu pretendia me estabelecer. Comecei a falar o que iria fazer enquanto chegava até o plastico onde estava aquele PowerPOint que imprimi minutos antes de subir para a entrevista, lembram? Perguntei se pdoeria mostra-lo e ela recolheu todos os demais papeis e abriu espaço pra mim. Mostrei então o powerpoint e ela elogiou, disse que eu era muito organizado e tal. Conversamos um pouco sobre o Plateau, o bairro que quero ir, ela deu dicas…foi otimo. DICA 7: Valeu muito a pena fazer um plano, não só para a entrevista, como uma obrigação, mas pude debater questões do plano com ela, tirar duvidas que eu tinha, verificar informações…rolou uma orientação baseada nas informações que eu tinha trazido no plano.

DICA 8: Não sei até que ponto vale a pena pegar aquela lista de perguntas possiveis que encontramos na internet. Eu não me baseie nela. Pratiquei a respostas para as perguntas, mas tenatndo, a cada vez, montar as frases de forma diferente, para não parecer que eu decorei a resposta e para testar a utilização de palavras diferentes. Foi assim que pratiquei com minha professora. Ela perguntava o que eu ia fazer no Quebec e cada vez que eu respondia eu tinha que começar falando de um jeito diferente.

E ai eu já estava mais relaxado, mais tranqüilo…e o pior parecia já ter passado por que ela já tinha conferido as horas de trabalho, os documentos, os comprovantes e declarações todos…Ai ela virou para o computador e tentou conectar no programa  e não conseguiu (ai me lembrei do povo que falava que o Sr. Alcide não devia saber usar o computador…gente o negocio não conecta direito mesmo. Não é culpa deles não. O programinha conecta direto em Montreal, de acordo com a entrevistadora). Ela tentou, tentou…Abriu um caderninho, pegou uma senha, abriu, mexeu e de repente, conectou. Enquanto ela escrevia numa caixinha de texto, ela soltou uma frase da qual eu captei 4 palavras: je, crois, ete accepté…”Oi?” eu tinha ouvido certo? Ela acessou o formulário (uma tela normal de Access cinza) , preencheu os campos e apertou “ENTER”. Voilá, vouz ete accepté! Felicitations!!!

Eu nem podia acreditar…meu xixi quase escorreu pela perna (opa, segura mais um pouquinho ai que ta terminando). Ai ela me entregou um Guia (que tem no site) Vivre au Quebec, me entegou as 3 vias do CSQ e me explicou os itens que eu havia recebido…De lambuja, fui classificado como francófono…ganhei um “F” no meu CSQ e, segundo ela, meu francês é intermedièrie avancé. Não podia ser melhor!!!!Como assim? eu consegui fzer 150h de aula (tudo bem que a partir de outubro e não fiquei emminuto sequer dos meus inumeros momentos de transito, sem meu mp3 socado no ouvido, ou lendo o livro da Isabel Allende: imersão funciona!!). Ela me deu mais algumas orientações (de não ir via EUA e ir direto pra Toronto e depois Montreal – por que tenho um visto americano e poderia usar, mas não vale a pena por que les americaine podem me encher o saco por ser imigrante). A essa altura eu só falava “merci, merci, merci…!”. Ela se despediu…eu estendi a mão para cumprimentá-la, mas pra minha surpresa ela me deu um beijinho no rosto, como fazemos com as epssoas conhecidas aqui no Brasil. Achei fofa demais, Mme Judith!

Sai de lá flutuando…(depois de liberar o xixi aprisionado)…nem me importei com o temporal que caia sobre SP, nem com o congestionamento que me prendeu durante mais de 1 hora dentro dum ônibus…Foi, certamente, uma das experiências mais intensas da minha vida. Nem no vestibular eu fiquei tão nervoso.

Agora é só agilizar o processo federal. Hoje, dia 03 (quarta) consegui tirar a certidão de antecedentes criminais do Estado, sem taxa, na hora (no PoupaTempo)…Tirei o da Policia Federal pela internet, mas fiquei na duvida e fui la na delegacia perguntar se servia. O policial me disse que era mais garantido tirar o outro, emitido por eles mesmos. Tirei xerox do RG e preenchi uma ficha. Daqui uma semana ta pronto. Sem taxa nenhuma. Até perguntei se não tinha que pagar alguma coisa…nadinha!! Nadinha de nada. Quarta feira que vem eu vou mandar a segunda parte da papelada e esperar pelo pedido de exames médicos.

Não consegui escrever antes…e agora entendo quando alguns relatos demoravam uns 3 dias pra aparecer…é muito difícil escrever no mesmo dia. Depois que passa a tensão, bate um cansaço de outro mundo e não dá vontade de fazer nada…só dormir…Hoje não trabalhei. Fiquei em casa, curtindo o gostinho…e só consegui escrever agora, às 23h, do dia 03.DICA 9: Cada entervista é uma. Apesar de todas elas terem os mesmos procedimentos burocráticos, elas são diferentes por que cada pessoa dira coisas que as demais não disseram e o rumo da entrevista se dá pela interação com o entrevistador. Ah e não imagine que por que aquela pessoa do outro lado da mesa chama-se “entrevistador” que ela só fará perguntas…Não, não, ela vai conversar como uma pessoa normal e vai reagir a sua forma de abordar os assuntos. Encare a entrevista como uma conversa e não como um interrogatório.

Foi isso, gente. Ao mesmo tempo muito parecido com que me falaram que seria, mas tb muito diferente do que eu imaginava!! Levem tudo o que puderem de documentos e comprovantes. Tentem (sei que é quase impossivel) ficar calmos…Façam imersão (com audio e livros). E boa sorte!!!

Ah…ia me esquecendo: minha entrevistadora foi a Santa Senhora Judith Grenon.

Desejo muito boa sorte a todos, em especial ao casal Ivonei e Gabriela com quem dividi os primeiros momentos pós entrevista. Esse bravo casal saiu de Curitiba no dia 01 (segunda) a noite e viajou a noite toda até São Paulo, pegou congestionamento e quase chegou atrasados. No mesmo dia da entrevista, 02, iriam pegar o ônibus de volta, e encarar mais “sei la quantas” horas de viagem. Bravos!!!

 

MONTREAL, Ai vou eu!!!!

Anúncios

8 comentários so far
Deixe um comentário

rpz! vc acredita que passei um dia tenso esperando vc publicar esse resultado! rsrsrsrs como escrevi em outro post, seu blog é um dos que acompanho com mais frequência. e seu perfil parece com o meu: solteiro, trabalho com design e inseguro em relação ao francês rsrsrs portanto sua vitória me deixa realmente feliz e esperançoso.
um grande abraço e curta esse momento que deve ser único na vida gente!!! abs ;>)))))))))))

Comentar por André

Parabéns, Álvaro!

Fizemos a entrevista no dia 03 em SP com a Soraia e tb conseguimos nosso CSQ. Fiquei ansiosa pelo seu relato por conta do que vc escreveu sobre o haitiano, sabe como é né, a internet é um BBB,
mas confesso que tb tive receio de fazer a entrevista com o ele… he he he.

Vamos levar mais calor para as terras geladas no ano que vem!

Um abraço.
Gi

Comentar por Giselle

Oi Alvaro,

Achei super bacana seu relato! Adoro ler seus textos.

Eu nao precisei passar por esta entrevista de imigracao, (so quando tirava visto de turista e o nervosismo eh o mesmo!!!) mas fui muito organizada tambem. Coloquei tudo direitinho, digitado e impresso. Eh bom voce dizer mesmo para o pessoal ser organizado porque parece que nao, mas isto conta pontos para gente! Aqui no Canada eles respeitam muita pessoas organizadas rsrs

Mais uma vez, parabens e avise quando estiver na terra do gelo!

Abracos,

Comentar por Alessandra

Oi Álvaro,

Gostei de ver pela CBQ a sua vitória e morri de rir com seu relato! 😀

Também fizemos entrevista com Mãedame Judith e ela é maravilhosa.

Estaremos logo todos juntos em Québec, já estamos combinando com a turma dos aprovados / 2008 as festas de Natal, Ano-Novo e Carnaval do ano que vem rsrsrs

Obrigada por dividir sua experiência conosco. Até hoje ainda não consegui escrever meu relato!

Grande abraço,

Dani Mello

Comentar por Dani Mello

Parabéns, Alvaro!
Muito bom ler sua saga!
Tudo de bom no Canadá!
Abraço!

Comentar por Joseli Sousa

Parabéens! Sucesso para você! Eu trabalho com música(andrea), espero conseguir emprego logo, quando lá estiver!

abçs

andrea e juarez

Comentar por juba e dea

Obrigado pessoal. Realmente as pessoas que conhecemos pela internet e que compoem as diferenets comunidades virtuais que participo, fizeram toda a diferença. Recebi muitas orientações, achei muitas dicas e pude contar com muito apoio. Valeu por tudo!! Pelos votos, pelos conselhos e pela torcida!!

Espero que sejam igualmente vitoriosos!

Abraços do Alvaro

Comentar por canadaproject

Parabéns pela obtenção do CSQ e pela forma como tu relatou a entrevista…. gostamos muito.

Bem, gostaria de te pedir um favor, se estiver a seu alcance. Tenho um professor de francês particular que deu aula particular de portugues para Mme. Judith Grenon. Ele gostaria de encotrá-la novamente e já até entrou em contato com a embaixada para ver isso, só que eles não deram essa informação.
Tu terias algum contato ou idéia de como ele pode chegar nela ?
O nome dele é Ricardo Deveze.
Agradecemos muito e mais uma vez parabéns !
Leonardo.

Comentar por Leonardo




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s



%d bloggers like this: